Pocket guide: aprovação em Concurso Público?!

Posted on

Como alcançar a aprovação em Concurso Público?!

"Você não precisa ser grande para começar, mas você precisa comerçar para ser grande. Zig Ziglar
Motivacional Resumex: “Você não precisa ser grande para começar, mas você precisa comerçar para ser grande. Zig Ziglar

1. Começando

O primeiro passo para quem deseja conquistar a tão sonhada aprovação em um Concurso Público é listar para quais certames sua formação é elegível. Por exemplo, para Engenheiros Civis, é possível obter uma lista dos concursos abertos em PCI Concursos – EC e Concursos no Brasil – EC. Frisa-se que tal lista deve considerar também os concursos que estão por vir, para os quais o candidato terá maior tempo de estudo.

1.1. Concurso (s) em perspectiva

É interessante listar os cargos de maior interesse e buscar previsões de próximos concursos. Geralmente, essas perspectivas surgem com pedidos dos órgãos ao MPOG (Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão). É possível consultar os pedidos em andamento através de consulta no Protocolo Integrado.

Aqui você encontra o processo de solicitação de autorização de concurso público do BACEN (Banco Central), por exemplo.

Entre a realização do pedido e o trâmite no MPOG, geralmente tem-se cerca de 1 ano. Tempo suficiente para se preparar para a provas!

Em Autorizações e Provimentos – MPOG é possível ter ciência dos concursos que já foram autorizados. Neste link é possível conferir as Tabelas de Autorizações e Provimentos do ano vigente (em .pdf) e dos últimos 15 anos (em .xls). Aqui, é possível acessar o FAQ sobre Concursos Públicos do MPOG.

É comum essas perspectivas de realização de concursos serem divulgadas em diversos canais como, por exemplo: PCI – Concursos PrevistosCorreioWeb – PrevistosJC – PrevistosCB – Previstos.

Dica: Escolha concursos e áreas/cargos semelhantes (cujos temas de estudo demandados são similares). Desta forma será possível aproveitar o tempo de estudo de um concurso para outro e vice-versa.


1.2. Tempo: Autorização x Aplicação das Provas?

A título ilustrativo, analisando o Edital do concurso para o cargo de Perito Criminal Federal – Polícia Federal de 2012, disponível aqui, tem-se:

Ação Data Intervalo (dias) Acumulado (dias)
Solicitação MPOG 09/08/2011
Autorização MPOG 12/12/2011 125 125
Publicação do Edital 10/06/2012 181 306
Aplicação de Provas (previsto) 19/08/2012 70 376
Aplicação de Provas (real) [1] 21/07/2013 336 712

[1] Concurso suspenso e provas aplicadas em nova data.

Desta forma, em condições normais, há um intervalo de cerca de 1 ano entre a solicitação para realização de concurso público e a aplicação das provas. Quem espera para estudar apenas depois da publicação do edital conta somente com cerca de 2 meses de estudos, ou 1/6 do tempo de quem acompanhava o processo e já se preparava para o concurso.


1.3. Editais e Fóruns

O site PCI Concursos traz uma série de editais e notícias relacionadas a concursos públicos. Ainda, é possível encontrar diversas provas de editais anteriores, e assim, estudar através resolução destas provas. Uma vez mantida a banca, as provas geralmente seguem padrões, visto que as provas devem demandar temas inerentes aos cargos que objetivam preencher. As provas de concursos para engenheiros civis podem ser encontradas em PCI – Provas EC.

Dica: É usual que grande parte dos concursandos utilize o fórum CorreioWeb como forma de comunicação com outros candidatos, troca de informação, atualização, etc. Portanto, é essencial dar uma conferida na página deste fórum dedicada ao concurso que se deseja prestar. Outro fórum de grande valia é o FórumConcurseiros.

Selecionados os concursos que se deseja prestar, que são elegíveis à sua formação, que possuem editais semelhantes, que têm previsão realista de ocorrência e tendo em mente a área em que se deseja atuar, deve-se buscar os concursos realizados anteriormente, analisar toda a matéria elencada nos últimos editais e resolver TODAS as provas anteriores destes cargos. A identificação dos principais temas/áreas de estudo que o concurso demanda e a resolução das provas anteriores são essenciais para sua aprovação. Tenha isso em mente.


1.4. Provas

É interessante buscar todas as provas de concursos anteriores para o cargo que se vislumbra. Com as provas em mãos é possível obter dados interessantes, como por exemplo: tendência das provas, distribuição dos temas cobrados (curva ABC), notas de corte e mínimas para aprovação, bancas mais prováveis, etc. Ainda, é essencial resolver todas as questões das provas anteriores.

Dica: É possível realizar buscas de provas em: PCI ProvasQconcursos.

1.5. Principais bancas

Dentre as principais bancas de concurso público, estão:

CESPE – Centro de Seleção e de Promoção de Eventos

CESGRANRIO

FCC – Fundação Carlos Chagas

FGV – Fundação Getúlio Vargas

VUNESP – Fundação para o Vestibular da Unesp

ESAF – Escola de Administração Fazendária

CONSULPLAN

Mais:

-Matéria da Exame sobre as bancas listadas.

-Matéria do Blog AlfaConcursos sobre as principais características destas bancas.

Sem dúvidas esta lista não é exaustiva, aqui é possível conferir mais de mil bancas de concursos públicos no Brasil.





2. Montando uma estratégia

“A eficiência consiste em fazer certo as coisas: geralmente está ligada ao nível operacional. Já a eficácia consiste em fazer as coisas certas: geralmente está relacionada ao nível gerencial”.

Uma estratégia eficaz será decisiva em sua jornada. É possível montar uma estratégia eficaz através dos seguintes pontos (obs.: lista não exaustiva):


2.1. Tenha o Português na ponta da língua

Português é matéria essencial, ponto! Quase matéria obrigatória em provas de conhecimentos básicos, português geralmente está presente em grande parte dos concursos públicos. . Portanto, é mais que necessário que o candidato esteja com o Português em dia. Além de lhe ajudar a obter maiores pontuações nas provas objetivas, o estudo da matéria será indispensável para um bom desempenho em provas discursivas.

Outro ponto que vale destacar, é o fato de que quem estuda português para um prova, estará estudando para grande parte dos certames de uma única vez! Isto poupa tempo e auxilia na obtenção de preciosos pontos.

Os livros de Português do Professor Décio Sena são altamente recomendáveis. Neles o autor resolve inúmeras provas e as classifica por bancas. São coletâneas de questões de Português das Bancas mais populares, simplesmente ele “revela” o padrão que as bancas buscam em suas provas. À medida que se vai estudando e resolvendo as questões do livro, o leitor fica familiarizado com os temas mais prováveis de cada banca. Vale conferir:

 

Dica: Identifique quais as prováveis bancas responsáveis pelos concursos que enseja e os padrões de questões de português que elas buscam, torne-se um especialista nesses temas e gabarite a prova!


2.2. Analise o Edital

No edital constam informações essenciais para a sua aprovação. Tomando por base itens mais relevantes de um edital padrão do CESPE, tem-se:

  1. Disposições preliminares: número de vagas; disposições gerais sobre o concurso e suas etapas;
  2. Do cargo: requisitos; atribuições; remuneração; jornada de trabalho;
  3. Da inscrição no concurso: valor da taxa; data limite para inscrição;
  4. Da primeira etapa do concurso: descrição dos exames que compõem o certame; descrição dos tipos de provas (P1 – Objetiva e P2 – Discursiva) e número de questões (conhecimentos básicos e específicos; elaboração de texto narrativo, dissertativo e/ou descritivo); caráter das provas (eliminatório e/ou classificatório); Data de realização da prova; Duração da prova;
  5. Da prova objetiva: descrição da metodologia CESPE (ex.: prova objetiva será constituída de 120 itens para julgamento, agrupados por comandos que deverão ser respeitados. O julgamento de cada item será CERTO ou ERRADO, de acordo com o(s) comando(s) a que se refere o item.  Haverá, na folha de respostas, para cada item, dois campos de marcação: o campo designado com o código C, que deverá ser preenchido pelo candidato caso julgue o item CERTO, e o campo designado com o código E, que deverá ser preenchido pelo candidato caso julgue o item ERRADO.); pontuação; instruções gerais;
  6. Da prova discursiva: pontuação; instruções gerais (ex.: a prova discursiva deverá ser feita pelo próprio candidato, à mão, em letra legível com caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente);
  7. Da avaliação de títulos: pontuação; caráter classificatório (geralmente); documentos necessários; instruções gerais;
  8. Dos critérios de avaliação e de classificação: critérios de pontuação; critérios de eliminação; critério de corte para correção das provas discursivas (geralmente as bancas corrigem as provas dos classificados em posição de até 4x a quantidade de vagas); informações gerais;
  9. Da nota final da primeira etapa: critérios de nota;
  10. Critérios de desempate: em caso de empategeralmente acaba na frente quem tiver maior nota na redação;
  11. Dos recursos: instruções gerais;
  12. Da classificação para escolha de lotação;
  13. Da nomeação;
  14. Das disposições gerais: instruções gerais (ex.: O candidato deverá permanecer obrigatoriamente no local de realização das provas por, no mínimo, uma hora após o início das provas; O candidato somente poderá retirar-se do local de realização das provas levando o caderno de provas, no decurso dos últimos quinze minutos anteriores ao horário determinado para o término das provas; etc);
  15. ANEXO I: Objetos de avaliação: 1. Conhecimentos Básicos (listagem); 2. Conhecimentos Específicos (listagem);

Obs: por vezes a banca elenca bibliografias sugeridas para os temas objeto de avaliação.

Em suma:

Diante do exposto, as partes do edital que direcionarão seus estudos, portanto fundamentais à sua estratégia, são: a descrição da prova e a listagem de temas objeto de avaliação. Com estes dados em mãos será possível se planejar para dominar os temas cobrados e se habituar ao estilo de resolução das questões da banca.

Com temas objeto de avaliação em mãos, deve-se direcionar os estudos aos temas mais importantes e com maior probabilidade de ocorrência em prova. O estudo de temas com probabilidade de ocorrência baixa deve ser deixado por último, após a finalização do estudo dos temas de maior peso, como será exposto na sequência.

 2.3. Mapeie seu cargo/banca

As provas são desenhadas de acordo com o cargo a ser preenchido e é com base nessa premissa que as bancas definem quais temas serão elencados nos editais dos concursos e, principalmente, em quais proporções estas matérias serão distribuídas e serão cobradas em prova.

Antes de chegarmos ao cerne da questão, um pouco de 80/20: também conhecido como Princípio de Paretodistribuição A-B-Clei dos poucos vitais ou princípio de escassez do fator, a regra do 80-20 recebe um de seus nomes em homenagem a Vilfredo Pareto.

Pareto estudou que as pessoas em sua sociedade eram divididas naturalmente entre o “alguns de muito” e “muitos de pouco“; se estabeleceram assim dois grupos de proporções 80-20 de tal modo que o grupo majoritário, que compreende 20% da população, ostentava os 80% de grupo oposto e o grupo minoritário, formado por 80% da população, os 20% deste. Especificamente, Pareto estudou a propriedade da terra na Itália e o que ele descobriu foi que 20% dos proprietários possuíam 80% das terras, enquanto os restantes 20% das terras pertencia ao 80% da população restante. Estes números são arbitrários; eles não são exatos e podem variar. Sua aplicação encontra-se na descrição de um fenômeno e, como tal, é aproximado e adaptável a cada caso particular. Wikipédia

A lei em pauta é aplicável nos mais variados campos. É possível verificar a distribuição 80/20 em diversas áreas, como no caso de orçamentação de obras, gestão de vendas, distribuições de renda, etc.

Em suma, tal lei diz que 80% dos resultados provém de apenas 20% dos esforços. As faixas da lei de pareto são variáveis e flexíveis, para cada caso há faixas específicas. Por exemplo, podemos ter três faixas e chamar a distribuição de ABC, onde os itens A são os principais e representam 70% do resultado, os itens B representam 20% e os itens C, apenas 10%. Desta, forma, fica evidente que os resultados provém essencialmente dos itens A. É nestes itens que deve-se focar!

Diante do exposto, a estratégia é a seguinte: após definir o cargo que se objetiva, deve-se montar uma planilha com todas as questões de todas as provas anteriores classificadas por tema! Na sequência, procede-se ao agrupamento de questões por tema tema e voilà: é possível identificar quais temas as bancas consideram essenciais ao cargo desejado, serão os temas pertencentes à curva A.

Obs: como provas de concursos públicos solicitam uma diversidade de temas, muitas vezes a curva ABC (curva resultante da lei 80/20) apresentará distribuição mais achatada, ou seja, haverá diversos temas essenciais. Entretanto, o conceito é muito válido para direcionar estudos e montar planos de ataque aos temas constantes em edital.

Com a planilha em mãos e identificados os temas essenciais, deve-se determinar um percentual de corte do montante acumulado (70%, 80%, 90%, etc) conforme a disponibilidade de tempo e focar nos itens essenciais! Tal estratégia pode ser utilizada em tudo que se pode imaginar, basta identificar os itens que possuem maior peso e focar neles.

Lembrando que o cronograma de estudo também pode ser organizado de acordo com o peso dos itens, ou seja, se um item tem peso de 30% dos pontos em uma prova, reserve 30% ou mais do tempo de estudo disponível para ele.

 

2.4. Busque bom conteúdo/bibliografia

Um bom conteúdo/bibliografia é fundamental.

Algumas bancas costumam utilizar bibliografia padrão em suas provas. Por vezes, baseiam suas provas em livros clássicos e conceituados de cada área.

Desta forma, é válido buscar saber quais são estes livros e estuda-los. Leia fóruns, realize pesquisas, enfim… descubra em que conteúdo a banca fundamenta suas questões.

Caso sua área seja Engenharia Civil, é possível conferir uma sugestão de bibliografia aqui: Bibliografia – Engenharia Civil

É claro que um bom material, apostilas, ebooks, artigos, resumos, cursos, dentre outros, podem lhe poupar tempo e direcionar seus estudos. O Resumex surgiu com base nessa idéia.

Cursos recomendados

– Cathedra

– Estratégia Concursos

– Ponto dos concursos

– Peri.to

2.5. Resolva Questões

Saber resolver provas é necessário e deve-se estar habituado à isto!

Geralmente, as provas possuem um determinado número de questões objetivas (dividas em matérias genéricas e específicas) e contêm uma parcela discursiva (questões/redação/peça, etc), é o padrão. Estão questões (objetivas e discursivas) deverão ser realizadas em um determinado tempo, conforme expresso em edital. Assim, é necessário programar a realização da sua prova! Em média, tem-se 2-3 minutos por questão e 40-60 minutos para uma redação, entretanto, cada caso é específico (depende do edital em questão). Portanto, habitue-se a resolver questões neste curto intervalo, gerenciamento de tempo será essencial.

Dica: é interessante realizar simulados semanalmente e observar tanto a sua evolução nos temas que serão demandados em sua prova como o tempo que se leva na realização das questões ao todo.

Ainda, como a “capacidade/conhecimento” do candidato é medido através de questões, você deve dividir o seu tempo de estudo de forma em que boa parcela deste seja destinado à resolução de questões. Assim, você se habituará com as provas e perceberá qual nível de profundidade será necessário em cada assunto. Ademais, treinará sua mente e perceberá com facilidade os diversos recursos (palavras pontuais) utilizados pelas bancas na elaboração das questões.

Dica: No Blog “Como fazer provas” é possível conferir alguns dos recursos utilizados nas questões de concursos. É essencial saber identificar estas palavras.

Boa estratégia é elaborar um cronograma baseado na curva ABC do cargo que se pretende, distribuir os temas constantes na curva A na maior parte do tempo de estudo e em cerca de 30% do tempo de estudo diário resolver questões. À medida que se vai avançando na cobertura dos temas, deve-se aumentar o percentual de tempo destinado à resolução de questões!

Dica: Uma excelente ferramenta (talvez a melhor) para a resolução de questões, é o site: Qconcursos. Nele é possível filtrar e organizar questões, acessar provas inteiras, pesquisar por questões de temas específicos, dentre outros. Vale obter o plano pago e criar cadernos de questões, confira!

Livros/apostilas de questões resolvidas são outro material essencial aos estudos. Basta procurar por cadernos de questões resolvidas, como é o caso dos excelentes materiais disponíveis nos sites:

  1. Didática Editorial
  2. Supera Editorial

Diante do exposto, realize um planejamento e divida seu tempo entre o estudo dos temas listados no edital e a resolução de questões.





3. Torne dos estudos um hábito

"Somos o que fazemos repetidamente. O mérito não está na ação e sim no hábito". Aristóteles
Motivacional Resumex: “Somos o que fazemos repetidamente. O mérito não está na ação e sim no hábito”. Aristóteles

Lembre-se  que a aprovação não é apenas um evento. Na verdade, o resultado do concurso é um evento, mas o que há por trás não.

Trata-se de um processo. Podemos dizer até que trata-se de um hábito.

Isto posto, organize e estruture seu tempo de forma que seja possível manter uma rotina de estudos constante e determinada. Utilize os pontos aqui abordados e estude de forma eficaz.

Torne dos estudos um hábito. O evento só materializa um processo forte e determinado, sem isso ele não existe.

“Se você não está disposto a aprender, ninguém pode te ajudar.

Se você está determinado a aprender, ninguém pode te parar.”




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *